18 de out de 2012

Protetor solar na gravidez é fundamental.



Se você sempre cuidou da pele, agora – grávida e com a chegada dos dias quentes –, atenção: a preocupação deve ser redobrada. Isso porque muitas gestantes ganham alguma mancha de pele (os temidos melasmas) porque não se protegem corretamente. Não adianta passar qualquer tipo de protetor meia hora antes de sair de casa. Você precisa checar, no rótulo, se o filtro é químico ou físico. A segunda opção é a melhor porque não há reação química com a pele, ele simplesmente barra os raios solares (mas a gente precisa contar: o filtro físico é mais difícil de espalhar). Veja, ainda, se ele protege contra os raios UVA e UVB, e o fator de proteção tem que ser igual ou superior a 30. 

Não economize na hora de aplicar. Para a área do rosto, pescoço e colo, a quantidade ideal é uma colher de chá cheia. Ainda que você evite o sol mais forte, das 11 às 16 horas, a dica é: quanto menos tempo exposta, melhor. Isso porque, no restante do dia, sua pele recebe o raio UVA, que estimula a pigmentação e... o aparecimento das manchas. Use óculos, chapéu, maiô e outras peças feitas com tecidos que protegem a pele do sol. E, se uma mancha aparecer, não entre em pânico. Seu dermatologista pode recomendar o uso de cremes vegetais clareadores ainda na gravidez, ou, então, tratamentos como peeling depois que o bebê nascer – e nenhum deles oferece riscos para a amamentação.
Fontes: Denise Steiner, da Academia Americana de Dermatologia, e Gabriela Casabona, dermatologista (SP)

0 comentários:

Postar um comentário