3 de nov de 2012

SHIATSU REDUZ FALTA DE AR E DESCONFORTO NA GRAVIDEZ.


A gravidez traz para todas as mamães alguns desconfortos durante o período da gestação. São eles os enjoos, dores, insônia, mal estar, e outros mais comuns ou específicos dependendo do organismo de cada uma.
Há muitos tratamentos, hoje em dia, que ajudam a melhorar esses sintomas, desde os mais simples até os mais elaborados ou conceituados, como o shiatsu. 

Essa técnica, originária da medicina oriental, tem como objetivo tratar não somente as gestantes, mas em geral os problemas físicos, psicossomáticos e emocionais, ou seja, o estresse, depressão, insônia, entre outros. Porém a grande novidade é que esse recurso também alivia os sintomas da gravidez, de acordo com a psicóloga e terapeuta corporal Marina de Andrade, da Clínica Estética Almazen, no Rio de Janeiro.

“Ao promover o reequilíbrio energético do organismo, o shiatsu é uma excelente alternativa para reduzir o desconforto pélvico, dores nas costas, tensões musculares, falta de fôlego, pressão abdominal e ciática, indigestão, sensação de pernas pesadas, além de pressão arterial elevada”, explica Marina.

A terapeuta corporal ensina como a técnica é aplicada. O princípio do shiatsu é a pressão com os dedos de 12 meridianos, representados pelos órgãos vitais. Esses meridianos, dispostos simetricamente em cada lado do corpo, são classificados de duas formas: ying (pulmão, baço, pâncreas, coração, rins, fígado e pericárdio, referindo-se à sexualidade e circulação); e yang (intestino grosso, estômago, intestino delgado, bexiga, vesícula biliar e função triploaquecedor). Além destes, há os pontos da coluna vertebral 24 meridianos do canal vaso-governador e outros 24 do vaso-concepção.

Algumas mulheres podem ficar restritas a esse tratamento. “Caso a mãe esteja com a pressão alta ou epilepsia não se deve aplicar o shiatsu na parte de cima da cabeça, porém o trabalho com os ombros, principalmente pernas e pés é benéfico e seguro. Para gravidez não é recomendado que se aplique força demais nos ombros. Deve-se evitar os pontos IG 4 e BP 6, bem como os canais yin (baço, rim e fígado) e abaixo dos joelhos”, alerta. Vale lembrar que essa técnica em gestantes pode ser aplicada entre o terceiro ao oitavo mês da gestação, uma sessão por semana, de acordo com Marina.

0 comentários:

Postar um comentário