6 de set de 2012

Convívio com cães pode melhorar a qualidade de vida de grávidas


Estudo comprova que o cachorro estimula a prática de exercícios durante a gravidez


Uma pesquisa feita pela WALTHAM Centre for Pet Nutrition com a colaboração das University of Liverpool e University of Bristol, no Reino Unido, e University of South Carolina, nos Estados Unidos, mostrou que ter um cachorro incentiva mulheres grávidas a praticarem exercícios. A análise foi publicada na versão online do PLoS ONE.
O estudo foi o primeiro a avaliar os benefícios físicos de gestantes terem um animal de estimação. Os pesquisadores avaliaram mais de 11 mil mulheres inglesas grávidas que haviam participado do Avon Longitudinal Study of Parents and Children (ALSPAC).
Eles descobriram que mulheres grávidas que tinham cachorro apresentaram uma probabilidade 50% maior de atingir os 30 minutos de atividades físicas recomendadas por dia do que aquelas que não tinham um animal em casa. Eles apontam, entretanto, que o fato de uma pessoa ter um cachorro não significa diretamente que ela pratique exercícios.
Com a crescente preocupação com ganho de peso excessivo durante a gravidez, que pode afetar o desenvolvimento do bebê, ter um bichinho de estimação parece ser uma boa alternativa. Os autores do estudo avaliam até se ter um cão não pode fazer parte de uma estratégia que vise à manutenção do peso saudável.

Dez dicas para ficar de bem com a balança durante a gravidez

Um dos receios mais comuns das grávidas é ganhar peso demais durante a gestação e, pior ainda, manter os quilos extras depois do parto. Para evitar o problema, o ortopedista. Ricardo Cury, da Sociedade Brasileira de Ortopedia, e a nutricionista Mariana Del Bosco Rodrigues, da Abeso (Associação Brasileira para o Estudo da Obesidade e da Síndrome Metabólica), orientam as mulheres que não querem ganhar muito peso na gravidez. Aumentar de nove a 12 quilos é normal. Ganhar um peso muito além disso pode ser ruim tanto para mãe quanto para o bebê.
1. Procure comer a cada 3 horas;                               
2. Para contornar o enjoo matutino, deixe alimentos secos (polvilho, biscoito) ao lado da cabeceira da cama. Mande um deles para dentro antes mesmo de se levantar;
3. Cereais integrais são excelentes fontes de vitaminas do complexo B, essenciais para minimizar o desconforto com o enjoo;
4. Consuma cálcio (leite e derivados), mineral determinante para garantir a saúde óssea da mãe;
5. Não esqueça o ferro (carne, grãos) para evitar anemia;           
6. Inclua na sua dieta alimentos ricos em ácido fólico (folhas verde-escuras), pois ele garante a formação do tubo neural do bebê;
7. Coma um filé de peixe, frango ou carne magra todos os dias. Além de dar a sensação de saciedade, esses alimentos garantem proteínas suficientes para o bebê e ainda ajudam a dar elasticidade à sua pele, evitando estrias;
8. Para evitar o inchaço, comum no último trimestre, é importante ingerir bastante líquido e moderar no consumo de sal;
9. Seu prato deve ser bem colorido, o que indica a variedade de nutrientes;     
10. Faça suas refeições com calma, sem pressa de engolir os alimentos. Isso facilita a sua digestão e evita que você coma mais do que sua fome exige realmente exige.

0 comentários:

Postar um comentário