30 de ago de 2012

Governo de São Paulo cria “pré-natal do homem”

O programa, que deve chegar a 190 municípios até 2014, oferece exames para diagnosticar DSTs e incentiva o futuro pai a cuidar de sua saúde.


Você já ouviu dizer que os homens não gostam de ir ao médico? Pois agora eles têm uma razão para mudar de ideia: a gravidez. Isso mesmo. Um novo projeto da Secretaria de Estado da Saúde de São Paulo está implantando o “pré-natal do homem” nos serviços de saúde das cidades paulistanas. A ação já está funcionando em 45 municípios e deve chegar a 190 até 2014 e oferece atendimento para os futuros pais durante o pré-natal da gestante.
 Qual é o papel do pai nos primeiros meses do bebê?
O objetivo principal é oferecer exames para diagnosticar sífilis e HIV para os futuros pais e assim diminuir gradativamente a transmissão de doenças sexualmente transmissíveis, tanto de um parceiro para o outro quanto de mãe para filho (que pode ocorrer durante o parto ou amamentação). “Os municípios têm aproveitado a oportunidade para fazer uma ação de saúde integral e falar sobre outras questões que dizem respeito ao bem-estar do pai. Alguns têm feito o chamado ‘kit homem’, que inclui exames de colesterol, diabetes e próstata”, explica Patrícia Marques, psicóloga da área de prevenção do Centro de Referência e Treinamento em DST/Aids, na capital paulista, que já oferece o “pré-natal do homem”.
Uma iniciativa semelhante aconteceu em 2008, em Várzea Paulista (SP), quando a Secretaria de Saúde da cidade passou a incentivar os pais a fazerem exames para diagnóstico e tratamento de doenças que podem afetar a saúde da mulher e, assim, a do bebê.
Além de melhorar o acesso masculino aos serviços de saúde, o “pré-natal do homem” também aumenta a participação do pai durante os nove meses até o parto. Assim que a gestante é encaminhada para a rede de atenção básica, o companheiro é convidado a fazer uma consulta também. “Antes eles ficavam apenas na sala de espera. Agora podem ter acesso a exames e ainda tirar dúvidas sobre paternidade e outros cuidados em geral”, diz Patrícia Marques. A expectativa é de que os homens busquem cada vez mais os centros de atendimento e estejam em dia com a sua saúde. E toda a família vai ganhar com isso.

0 comentários:

Postar um comentário