30 de jun de 2012

Estresse na gravidez pode prejudicar o bebê?

Será que ele pode prejudicar o bebê? Novo estudo diz que o estresse aumenta o risco de a criança ter problemas de comportamento.


Você está toda feliz com o bebê que está esperando. Por vezes, quis que o mundo parasse para poder curtir esse momento, mas não tem jeito. Tudo continua acontecendo à sua volta. É o relatório do seu trabalho que deu errado, a empregada que resolveu não aparecer justo no dia que teria visitas à noite, o seu outro filho que foi mal na prova. Será que esse estresse todo prejudica o bebê na barriga?

Cientistas do Perth´s Telethon Institute for Child Health Research, na Austrália, coletaram dados de 3.000 grávidas e situações pelas quais passaram na 18a e 34a semana de gestação. Depois, analisaram o comportamento das crianças e adolescentes com 2, 5, 8, 10 e 14 anos. O resultado do estudo, publicado no jornal científico Development and Psychopathology, revelou que, quanto mais eventos estressantes a gestante passar durante os nove meses, mais risco a criança tem de ter problemas de comportamento.

Para Alessandro Danesi, pediatra do Hospital Sírio-Libanês (SP), apesar de o estudo ter algumas ressalvas, o pré-natal tem, de fato, um impacto no comportamento do bebê. “O bebê tem uma sensibilidade grande no útero e toda vez que há alterações de humor ou do comportamento da mãe", diz. "Na prática, percebo que bebês de mães que tiveram uma gestação turbulenta, com forte estresse, como a morte de um parente, tendem a ser mais agitados, com mais cólicas e dificuldade para dormir." Mas o especialista alerta: isso pode ser revertido se o ambiente em que a criança vive for tranquilo e rodeado de carinho.

E esse é exatamente um dos pontos enfatizados pela autora da pesquisa australiana, Monique Robinson. Segundo ela, independente da exposição do bebê ao estresse no útero, o acolhimento após o nascimento proporciona à criança um enorme potencial para mudar seu curso de desenvolvimento. “Isso é conhecido como ´plasticidade do desenvolvimento', o que significa que o cérebro pode se adaptar e se modificar à medida que a criança cresce em um ambiente positivo”, disse Robinson ao jornal Medical News Today.

De qualquer maneira, vale lembrar (sempre!) que a gravidez deve ser vivida da forma mais gostosa possível. “Em geral, conforme a grávida sente o bebê mexendo na barriga, ela se desliga das coisas externas e passa a curtir ainda mais", afirma Mirna Nakano, ginecologista e obstetra do Hospital Santa Catarina (SP). E é assim mesmo que tem de ser. Afinal, quantas gestações você vai ter na vida? "É preciso investir naquele período, curtir a proximidade com o bebê. Sem contar que o estresse da grávida pode influenciar, inclusive, no parto, na sua tolerância à dor”, diz Mirna. O melhor a fazer para você e o bebê é procurar relaxar e aproveitar cada segundo desse momento tão especial.
Via Crescer

29 de jun de 2012

AAS infantil pode ajudar a engravidar e a manter gestação

A aspirina, como é popularmente conhecido o AAS, tem efeito anticoagulante. Em doses infantis, pode auxiliar mulheres com problemas vasculares a engravidar e a manter a gravidez

Uma parcela de mulheres pode se beneficiar do uso do ácido acetilsalicílico (AAS) para aumentar as chances de ficar grávida. A aspirina, como é popularmente conhecido o AAS, tem efeito anticoagulante. Em doses infantis, ela pode auxiliar mulheres com problemas vasculares tanto a engravidar quanto a manter a gravidez. 

O AAS dificulta a coagulação do sangue, tornando-o menos espesso. Assim, o sangue passa mais facilmente pelos vasos do endométrio, tecido que reveste a parte interna do útero. "É como você pegar um canudo bem fino e tentar puxar uma coisa mais espessa. Ela não vai passar. Quando o sangue é mais fino, ele tem mais facilidade de penetrar o endométrio", explica Marcos Sampaio, diretor do centro de medicina reprodutiva Origen, de Belo Horizonte. Com isso, esse tecido recebe mais progesterona, hormônio presente no sangue, o que ajuda na fixação do embrião. 

Não é sempre, no entanto, que o AAS consegue ajudar. Apenas em determinados casos, e somente quando a mulher apresenta problemas de vascularização, como trombose. Nessas situações, a medicação é receitada pelo médico, após realizar exames que comprovem a necessidade. "O AAS só é terapia em casos específicos. Ou seja, não adianta a pessoa se automedicar", reforça Marcos. 

O tipo de AAS orientado pelos médicos é o infantil - isto é, em dosagens de 100 a 200mg. "O AAS em baixas doses é anticoagulante. Nas doses tradicionais, eles são analgésicos e anti-inflamatórios, mas perdem esse efeito", explica Marcos. 

Uso durante a gravidez
O uso do medicamento pode ser feito inclusive durante a gravidez. De maneira semelhante ao endométrio, o remédio ajuda na irrigação da placenta e evita problemas gestacionais relacionados a ela, que podem levar até ao parto prematuro. O médico deve acompanhar a evolução da gravidez para determinar se há necessidade de suspensão ou não do medicamento. 

Quando administrado em dosagens baixas, não apresenta maiores riscos à gravidez. A decorrência mais frequente do uso dessa medicação é uma irritação gástrica. "Ele pode levar à hemorragia gástrica, mas essa é mais fácil de controlar, porque apresenta alguns sinais antes. Ela vai sentir dor de barriga", afirma. 

Marcos lembra que não adianta as mulheres usarem apenas o AAS e imaginar que com isso terão mais chances de engravidar. Se a paciente estiver tentando engravidar durante algum tempo sem resultados positivos, ela deve procurar a ajuda médica. "O ASS é apenas mais uma arma. Mas se a mulher não estiver engravidando, não adianta só tomar o remédio."
Via site Terra

28 de jun de 2012

Veja os vídeos do momento mais feliz da vida de uma mulher: dar à luz

Veja que emocionante nos três vídeos abaixo do programa da Eliana, que acompanhou a história de três mães que chegaram na maternidade para viver o momento mais feliz da vida delas: dar à luz. 






27 de jun de 2012

Como aproveitar as peças da gestação no pós-parto

Se você está pensando em renovar o guarda-roupa agora, mas quer aproveitar para usar as peças depois que o bebê nascer – Confira as dicas a seguir:
Calças: prefira as que têm elástico na cintura, como a saruel, ou com cordões para amarrar nas laterais, que permitem o ajuste. Opte por tecidos mais molinhos, como malha ou plush, e as que têm corte reto, que ajudam a alongar a silhueta.


Vestidos: pense que você poderá usá-los no inverno com legging ou meia- calça. Tecidos de malha são uma boa opção porque esticam e acompanham o crescimento da barriga. No pós-parto, você pode encurtar a barra, na altura do joelho ou menor, se preferir. E usar cintos!

Blusas: prefira as batas. No pós-parto, use com uma calça sequinha, para mostrar que você está mais magra.
Estas peças você encontra com exclusividade na nossa loja virtual 

26 de jun de 2012

Os benefícios do parto normal

Em entrevista, o médico Alexandre Padilha, ministro da Saúde, fala sobre as vantagens do parto normal. Confira!



parto normal pode ser entendido como uma espécie de ritual de passagem importante para o bebê. É a transição da vida num ambiente escuro, líquido e quente para um lugar mais amplo, frio, iluminado, onde ele vai passar a respirar de forma autônoma, algo diferente do que experimentou no útero. "O stress que o bebê sofre no parto normal é benéfico para sua adaptação", afirma Renato Kalil, obstetra e especialista em reprodução humana. As mudanças no trabalho de parto desencadeiam a produção de substâncias - entre elas os corticoides - que ajudam a preparar o organismo do filho para seu novo hábitat. A saída pelo canal vaginal - e não pela barriga - traz vantagens: propicia a compressão do tórax, que leva a criança a eliminar todo o líquido amniótico do aparelho respiratório.
Para a mulher, as vantagens da via normal também são muitas. Ela toma menos remédio, corre menos riscos de infecção, hemorragia e embolia. A perda de sangue não chega a meio litro. Se o médico precisa fazer a episiotomia - incisão no períneo, o músculo entre a vagina e o ânus - para aumentar o canal de expulsão, apenas seis ou sete pontos resolvem. Já na cesárea, cirurgia abdominal que prevê anestesia peridural ou raquidiana, a perda é em torno de 1,5 litro de sangue. O corte é bem radical, atinge ao todo sete camadas, que serão fechadas com 150 pontos, a maioria deles nas áreas internas. A cicatrização é demorada.


Rito de passagem

Se a cesariana não deve ser banalizada, tampouco merece condenação. "Ela é uma conquista", afirma o médico Eduardo Souza. Ele adverte, no entanto, que a cirurgia só deve ser adotada quando há recomendação.
A transformação da cirurgia em algo corriqueiro preocupa o governo. Para estimular a via normal, o Ministério da Saúde tomou iniciativas, como criar ambientes propícios para o parto na rede pública e casas que funcionam só com parteiras, mas que ficam contíguas a hospitais - que podem dar socorro imediato em caso de complicações. Os resultados ainda não apareceram. Na década passada, o SUS registrou um salto de 24% para 36% no número de cesáreas. Outra medida é a parceria que está sendo firmada com a Fundação Bill e Melinda Gates, nos Estados Unidos. O ministério e a instituição do criador da Microsoft vão investir mais de 14 milhões de reais, nos próximos dois anos, em pesquisas para melhorar a saúde materna, as condições do parto e, assim, reduzir a incidência de bebês prematuros, segunda causa de morte de brasileiros até 5 anos.

Em entrevista concedida à revista CLAUDIA, o médico Alexandre Padilha, ministro da Saúde explica por que é um dos defensores do parto normal e quais são as ações do governo para estimular a prática. Veja:

Por que defende o parto normal?
Sou um pleno defensor desde a faculdade de medicina, onde entendi a fisiologia da mulher e as vantagens do parto normal. A convicção se fortaleceu com a experiência como infectologista. A paciente fica menos tempo no hospital; portanto, o risco de infecção é menor.

A que experiências se refere?
Assisti mães ativas no parto normal - elas já pegavam o bebê e o amamentavam - enquanto as outras estavam anestesiadas. Coordenei o Núcleo de Medicina Tropical da USP, que montou um centro no Pará, em comunidades indígenas. Vi muitos nascimentos. Nenhum com sofrimento.

A mulher urbana, mais sedentária que a indígena, está preparada?
Ela tem de encarar a gravidez como um momento para se cuidar. Se é sedentária, deve criar hábitos saudáveis, preparar o corpo, evitar riscos de obesidade e hipertensão. O pré-natal é para isso.

Médicos preferem a cirurgia. Como o governo mudará essa cultura?
Atacando em várias frentes. Temos de tê-los como parceiros - a opinião deles influencia a mulher - e mudar sua formação. Residentes não aprendem o parto normal, formam-se em hospitais de alta complexidade que só realizam cesáreas. Também devemos valorizar, financeiramente, o que a rede pública já faz há dez anos. Em 2011, a Agência Nacional de Saúde Suplementar passou a estimular os planos de saúde. Os que diminuem as cirurgias recebem um indicador positivo. Outra coisa é falar com a gestante: o governo faz campanhas permanentes sobre as vantagens da via natural.
Conteúdo do site CLAUDIA

24 de jun de 2012

Tomar sol na gravidez ajuda a prevenir doenças respiratórias no bebê

Estudo americano mostra que a vitamina D, que precisa do Sol para ser absorvida pelo organismo, fortalece o sistema respiratório da criança.


Pode ser na praia, na piscina, no quintal ou na varanda de casa. Sentar no fim da tarde e tomar aquele solzinho é uma delícia, não é? Se você está grávida, aproveite porque ele faz muito bem para o seu bebê. 

Um estudo da Universidade de Harvard, nos Estados Unidos, publicado na revistaPediatrics, mostrou que um alto nível de vitamina D em bebês pode prevenirinfecções respiratórias durante a infância. Apesar de ser encontrada em vários alimentos (como fígado, ovos, carne, manteiga, peixes - inclusive os enlatados - e óleo de fígado de peixe), a vitamina D necessita do Sol para ser absorvida pelo organismo. Por isso, muitas crianças nascem deficientes desse nutriente.
Para chegar a esse resultado, os cientistas analisaram a concentração da vitamina no cordão umbilical de 922 recém-nascidos e acompanharam a quantidade da mesma até as crianças completarem 5 anos. Aquelas com baixos níveis de vitamina D apresentaramduas vezes mais chances de desenvolver infecções respiratórias comparadas àquelas com maior concentração do nutriente no sangue. Os pesquisadores também notaram que a maioria dos bebês que nasceu durante o inverno tinha baixos níveis de vitamina. 

“Considerando que as infecções respiratórias são a causa mais comum de asma, suplementos de vitamina D ajudam na prevenção, particularmente durante o outono e o inverno, quando os níveis de vitamina D caem e aumentam os casos da doença”, explica o especialista Carlos Camargo, que conduziu o estudo. 

Estudos anteriores feitos pela equipe de Camargo mostraram que filhos de mulheres que tomaram suplementos de vitamina D durante a gravidez eram menos propensos a desenvolver chiado no peito (o que os médicos chamam de sibilância) durante a infância. 
A Sociedade Brasileira de Pediatra recomenda o uso de suplementos de vitamina D a partir do 15º dia de vida. Após o primeiro mês, você pode levar o bebê para passeios curtos ao Sol, de preferência até às 10 e após às 16h, para estimular a absorção da vitamina.
via crescer

22 de jun de 2012

Consumir ácido fólico diminui riscos de autismo, diz estudo.

Consumir ácido fólico no primeiro mês de gravidez diminui riscos de autismo.

Estudo mostra que ingerir hortaliças, como tomate, brócolis e ervilha, além de tomar polivitamínicos com o nutriente, ajuda a evitar o transtorno.

Tomate, cogumelo, ervilha, brócolis e espinafre. Esses alimentos não fazem parte da sua dieta? Então, é melhor incluí-los, já que são ricos em ácido fólico. Uma pesquisa publicada no American Journal of Clinical Nutrition mostrou que as grávidas que consomem no início da gestação 600 microgramas por dia dessa substância – o que corresponde a um prato de sobremesa de hortaliças cruas ou a um pires de chá se estiverem cozidas -, protegem seus bebês contra o autismo. O estudo foi feito com 835 mães de filhos autistas entre 2 e 5 anos e mediu a quantidade e a frequência do nutriente que cada mulher consumia. As informações das pacientes foram reunidas três meses antes de engravidar e durante a gestação.

“Nunca antes tivemos uma pesquisa relacionando o consumo de acido fólico com a probabilidade de autismo, mas acho possível que ele ajude nisso, sim”, diz a obstetra Helena Junqueira, do Hospital e Maternidade Santa Joana (SP). Mas, para que ocorra a prevenção, a especialista defende a ingestão desse componente em polivitamínicos ainda nos três meses anteriores à gravidez - e durante toda a gestação, o que garantiria todos os benefícios da vitamina. Vale lembrar que essa já é uma recomendação de praxe dos obstetras.
E são diversos os estudos que comprovam os benefícios do ácido fólico. A vitamina pode diminuir em até 70% os riscos de má formação do tubo neural do feto, onde o cérebro e a medula espinhal se desenvolvem. Pesquisas anteriores já mostraram que a substância também ajuda a prevenir problemas cardíacos, partos prematuros e até síndrome de Down. Para Helena, aliás, essa vitamina deveria ser consumida todos os dias por todas as mulheres em idade fértil, já que não há efeito cumulativo e nenhuma contraindicação.

Segundo o obstetra Fábio Muniz, do Hospital e Maternidade São Cristóvão (SP), a relação entre autismo e ácido fólico ainda é controversa, mesmo assim, afirma, o governo dos Estados Unidos decidiu fortificar a maioria de seus cereais com a vitamina na tentativa de minimizar o transtorno, uma vez queincidência de autismo no país.

Onde mais encontrar o ácido fólico

Em vegetais, cogumelos, oleaginosas e grãos, como beterraba, couve, almeirão, shimeji, shitake, nozes e feijão.

21 de jun de 2012

Asma na gravidez

Asma na gravidez: acompanhamento médico é essencial.

 
 
Momento mágico na vida das mulheres, a gestação requer cuidados especiais para se chegar a um parto tranquilo, sem riscos. Isso vale para a saúde de modo geral, inclusive para a respiratória. “Num quadro de asma, por exemplo, o ideal é buscar a orientação de um especialista e seguir direitinho todas as recomendações relacionadas ao tratamento”, adverte o dr. José Eduardo Delfini Cançado, presidente da Sociedade Paulista de Pneumologia e Tisiologia.
Diversos fatores podem favorecer o agravamento da asma na gravidez. Alteração hormonal, aumento do volume uterino que, consequentemente, empurra o diafragma, comprime o tórax e diminui a expansibilidade dos pulmões, além de aspectos emocionais, como ansiedade e insegurança. A gestante asmática, registre-se, é mais suscetível a contrair infecções respiratórias, especialmente pneumonias.
“Estatisticamente, a evolução da asma na gestante é proporcional. Em 1/3 há melhora das crises, 1/3 piora e 1/3 prossegue sem nenhuma alteração. Para manter um quadro controlado, recomendamos a procura imediata a um pneumologista para a realização de tratamento preventivo. Como a asma pode ser mais grave durante a gestação, é importante um atendimento frequente”, alerta o dr. Roberto Stirbulov, vice-presidente da Sociedade Brasileira de Pneumologia e Tisiologia (SBPT) e ex-presidente da Sociedade Paulista de Pneumologia e Tisiologia (SPPT).
É importante que as gestantes não suspendam o uso de medicamentos, pois pode haver complicações indesejáveis. Aliás, o uso da budesonida, uma corticóide para inalação, apresenta boa segurança e é autorizado pela FDA, agência reguladora americana que controla alimentos, medicamentos, entre outros itens.
“Gravidez com asma não controlada aumenta o risco do bebê. As complicações tanto podem atingir a mãe, que pode ter pré-eclampsia, diabetes e rompimento prematuro da bolsa, como afetar a criança, que corre o risco de ter baixo peso ao nascer, entre outros problemas”, explica o dr. Stiburlov.
Ainda existem riscos, como a diminuição de oxigênio na corrente sanguínea da mãe, o que é fator de comprometimento do crescimento e da sobrevida do feto, impedindo-o de se desenvolver normalmente.
Os sintomas costumam melhorar durante as últimas quatro semanas da gravidez. Também é bom lembrar que a criança pode ou não nascer com a doença. Uma vez que se trata de um mal de origem genética, transmissível pelo gene da mãe ou do pai, não há como determinar antecipadamente.
“Vale reafirmar que o acompanhamento por um médico pneumologista é imprescindível para o bom termo da gravidez e para a saúde do bebê. Mantendo os cuidados para evitar as crises, a asma será bem controlada e a gestação tranquila”, finaliza Stiburlov.

20 de jun de 2012

Moda Gestante - Estampa Floral para o Inverno 2012

O  Inverno 2012 já começou e nada melhor do que preparar-se para as novas estações e arrasar na  moda Estampa Floral para o inverno 2012. Afinal, que grávida não quer ficar linda e maravilhosa e continuar na moda em qualquer estação?
E quem gosta de estampas terá uma ótima notícia nesta estação: acabou aquela história de estampa combinar apenas com o verão. Agora estampa combina com o frio também e estará com tudo neste inverno 2012.
 A moda atual liberou a estampa floral para a estação mais fria do ano sem deixar a grávida perder o seu charme feminino.
A ideia principal das estampas florais para o inverno 2012 é criar peças coloridas e diferenciadas, com flores dos mais variados estilos.Não há como negar que as flores dão um ar mais jovem e alegre para uma mulher, mas é lógico que deve ser feita a combinação certa entre as partes de roupas.
Já ficou até com vontade de comprar as suas roupas floridas, não é? Pois na nossa Loja Virtual Be Mammy você encontra alguns modelos em estampas florais para o inverno 2012 e você não pode ficar de fora desta moda. Escolha já a estampa que combina mais com seu estilo e rejuvenesça.
Conheça alguns de nossos modelos de Estampas Florais:

Blusa Estampada c/ laço no ombro


Vestido Estampado 

Vestido Estampado 


Macacão Gestante Malha Oliva
Bata Estampada Graphics marinho

Todos esses modelos acima você encontra na nossa loja virtual! 
Acesse e Aproveite nossas Promoções:


19 de jun de 2012

Be Mammy na Feira Gestante e Bebê do Rio de Janeiro



A Feira Gestante e Bebê é um evento realizado há mais de 20 anos no Rio de Janeiro, procurando mostrar para as futuras mamães uma variedade de produtos de decoração, moda e outras confecções com preços acessíveis, afinal, os artigos são vendidos diretamente dos fabricantes.
Na feira as grávidas encontram roupas da moda gestante e podem conferir artigos de expositores internacionais.
A Be Mammy estará presente com seu Stand, vale a pena passar por lá.
Mais informações: www.gestanteebebe.com.br

03 a 08 de Julho
RIO DE JANEIRO - RJ
RIOCENTRO – Pavilhão 2
ENTRADA GRATUITA
14h ÀS 22h

Você não pode perder!!

18 de jun de 2012

Ministério da Saúde reforça pré-natal em 1.389 municípios


O Ministério da Saúde autorizou o repasse de R$ 28,08 milhões, em parcela única, para que 1.389 municípios, de 24 estados, ampliem a oferta de exames do componente pré-natal e adquirem testes rápidos de gravidez. A estimativa é que mais de 557 mil gestantes sejam beneficiadas com os novos exames e mais de 523 testes sejam realizados. 
“Essas medidas buscam garantir acolhimento e captação precoce da gestante, além de ampliar o acesso aos serviços de saúde e melhorar a qualidade do pré-natal”, afirma o ministro da Saúde, Alexandre Padilha. Ele ressalta que o diagnóstico rápido permite à mulher iniciar o pré-natal, assim que a gravidez seja confirmada.
A coordenadora da área técnica de Saúde da Mulher, do Ministério da Saúde, Esther Vilela, destaca as vantagens do teste rápido. “Ele apresenta o resultado cerca de cinco minutos após a coleta da urina, já o tradicional demora de um a cinco dias para a entrega do resultado”, explica a coordenadora. Segundo ela, o teste rápido também é importante para as adolescentes que procuram as unidades de saúde. “É uma oportunidade para que a equipe de saúde converse e oriente estas adolescentes”, observa ela. “Caso o resultado do teste seja negativo, a equipe deverá encaminhar a paciente ao planejamento reprodutivo e reforçar a orientação sobre o uso de métodos contraceptivos”, acrescenta a coordenadora. 
Para a ampliação dos exames foram destinados R$ 27,7 milhões e, aos testes rápidos de gravidez, R$ 301,3 mil. Este tipo de exame foi inserido no SUS por meio da Rede Cegonha, assim como os testes rápido de sífilis e HIV. São ofertados 23 exames do componente pré-natal, deste total, 14 foram acrescidos com a Rede Cegonha.
Esses serviços estão garantidos pela estratégia Rede Cegonha, lançada no ano passado. Todos os estados já aderiram à estratégia, que consiste em uma rede de cuidados com o objetivo de assegurar à mulher o direito ao planejamento reprodutivo, bem como atenção humanizada durante a gravidez, o parto e após o nascimento do bebê. A rede também prevê que as crianças tenham o direito ao nascimento seguro e ao crescimento e desenvolvimento saudáveis.
Via Ministério da Saúde

16 de jun de 2012

Sorteio de um Macacão Be Mammy - Encerrado



Sorteio de um Macacão verde água Be Mammy



Regras para concorrer ao sorteio desse lindo Macacão:


-Seguir nosso blog na barra lateral clique em: "Participar deste site"
- Fazer um comentário em qualquer postagem do nosso blog
- Ter endereço de entrega em território nacional.
- Preencher o formulário de inscrição


Chance extra:


- Curtir a nossa Fan Page AQUI
- Adicionar nosso perfil no Facebook AQUI
- Seguir nosso Twitter AQUI
- Se inscrever no nosso canal no You Tube AQUI
- Adicionar nosso perfil no Orkut AQUI
- Divulgar o sorteio no seu site, blog, no facebook, twitter, etc.. 


* Para cada chance extra preencha o formulário novamente, "exceto" se comprar qualquer produto Be Mammy preencha o formulário 5 vezes.



FORMULÁRIO DE INSCRIÇÃO AQUI






O sorteio será realizado no Dia 15/07/2012


- Por favor inclua corretamente todas as regras no formulário e o motivo
da sua nova inscrição e confira diretinho para não haver erros e ser
desclassificada, qualquer dúvida me procure por email que
esclareço qualquer dúvida bemammy@live.com




- O resultado será divulgado aqui no Blog, e também em nossas Redes Sociais.
-Só valem inscrições de quem residir ou tiver endereço de entrega em território nacional;
O vencedor(a) receberá seu prêmio em casa enviado pela Be Mammy;
- O ganhador(a) terá que enviar um email  para bemammy@live.com após ser divulgado
o nome da ganhador(a) no prazo até de 48hs ou será novamente feito o sorteio.


Para quem ainda não conhece a Be Mammy clique aqui e saiba um pouco mais sobre a Loja.
Beijos e Boa Sorte*

Seios bonitos na gravidez e no pós-parto

A gestação é uma fase de intensa mudança no corpo da mulher. E os seios continuam passando por alterações após o parto, durante o período de amamentação. Saiba como cuidar dessa parte do corpo com todo o cuidado que ela merece.


Mesmo antes de o teste dar positivo, é possível que você tenha percebido alguma alteração no seu corpo. Provavelmente, nos seios. Isso não é regra, mas muitas mulheres começam a desconfiar da gravidez por sentirem as mamas inchadas e doloridas. A partir daí, se você quiser mantê-las  firmes, fortes, bonitas e livres de estrias, só tem um jeito: iniciar alguns cuidados de beleza o quanto antes.
 
Os produtos indicados para essa fase são hidratantes específicos para a área dos seios, que foram desenvolvidos especialmente para a gestante e, portanto, são livres de ácidos capazes de interferir tanto na gestação quanto na amamentação. A função dessas fórmulas é  hidratar a pele. “Elas são eficazes, especialmente os dermocosméticos, cujos princípios ativos têm ação comprovada cientificamente. No entanto, é importante que a gestante seja orientada por um dermatologista, que saberá indicar os produtos certos, as restrições de substâncias e o modo de usar”, recomenda o dermatologista Ricardo Limongi Fernandes, do Instituto de Cirurgia Plástica Santa Cruz, em São Paulo.
 
Hidratar a pele é fundamental para evitar estrias, mas é importante saber que cremes não fazem milagres. Afinal, nessa hora entra em jogo a genética de cada mulher e a oscilação de peso durante a gravidez. “Sempre recomendo o tratamento preventivo. Se a mulher não usar o hidratante e apresentar estrias, irá se arrepender. Caso as estrias apareçam apesar do cuidado, seguramente serão em menor quantidade”, afirma o cirurgião plástico Pablo Rassi Florêncio, de São Paulo.
 
Não dê moleza para ação da gravidade
Durante a gestação, as mamas ficam mais sensíveis, doloridas, volumosas e, eventualmente, secretantes. O sutiã deve se adequar a essa nova situação, proporcionando sustentação e priorizando o conforto.
 
Para quem tem seios fartos, o chamado sutiã de sustentação é recomendado. Com alças e laterais mais largas, suporta melhor o peso e o distribui nos ombros. “O sutiã não deve ser muito apertado e nem conter arame, porque machuca o seio. Por outro lado, aqueles que deixam as mamas muito soltas facilitam a flacidez posterioriormente”, pondera o ginecologista e obstetra José Carlos Sadalla, do Hospital Sírio Libanês, em São Paulo.
 
Para as lactantes, o uso de sutiã próprio para amamentação é fundamental. A principal vantagem é que a mamãe não precisa retirar a peça completamente para dar de mamar. O uso de absorventes para mamas pode ser necessário, especialmente no pós-parto, quando a secreção de colostro costuma ser mais frequente.
 
A obstetra Helena Junqueira, do Hospital e Maternidade Santa Joana, em São Paulo dá um aviso importante para evitar um erro comum: as mulheres têm o hábito de comprar o sutiã de amamentação antes de o bebê nascer, porém, de 3 a 5 dias após o parto, a mama dobra de volume. Para acertar no tamanho, ela orienta que se compre um número acima.
 
Após o período de lactação, você pode voltar a usar os sutiãs de antigamente, mas se ainda estiver com as mamas aumentadas ou amamentando esporadicamente, aposte nos tops ou sutiãs que tenham uma estrutura um pouco maior, que possam sustentar adequadamente o seio e evitar a flacidez.
 
Cuidados na amamentação
Durante a gestação, abuse do hidratante nos seios para prevenir as estrias, mas nem pense em lambuzar o mamilo. Essa área é a única que não deve ficar macia e, sim, áspera. Pode soar estranho, mas isso previne machucados durante a fase de amamentação. Procure esfregar o mamilo com uma bucha vegetal, durante o banho. Sempre com delicadeza.  
 
Para evitar rachaduras no período de aleitamento, passe pomada de lanolina no mamilo, entre uma mamada e outra. Mas se preferir algo mais natural, a polpa do mamão também faz a vez de cicatrizante, garante a Helena. Além disso, tomar sol nos seios ajuda na cicatrização da pele desta região. “A estratégia é válida para diminuir a sensibilidade local, tornando a amamentação menos dolorosa”, enfatiza a obstetra.
 
Uma boa pega do bebê também é essencial não só para o sucesso da amamentação como para a preservação dos seios. A boca do pequeno deve englobar toda a papila. Caso contrário, as fissuras e machucados serão certos. A retirada do bebê após a mamada exige cautela. “Sugiro que a mãe introduza o dedo mindinho, suavemente, na boca do bebê para retirar o vácuo e, assim, evitar o trauma do final da mamada. Vale lembrar que ela não deve se esquecer de lavar as mãos antes”, ensina Sadalla.
 
Os protetores específicos são úteis para manter a roupa da mamãe seca. Deve-se dar preferência aos descartáveis, mas se você se adaptou melhor aos permanentes, lembre-se de mantê-los limpos. No caso das conchas, não se deve utilizar o leite que fica armazenado nelas. “Esse leite é contaminado por bactérias e deve ser desprezado”, alerta Sadalla.
 
A higienização das mamas deve ser realizada com água e produtos neutros de limpeza. Nem cogite apelar para o álcool. Evite, também, banhos quentes e demorados.
 
Ajuda extra
Quer prevenir a flacidez e as estrias gravídicas? Então, trate de controlar o peso e fazer atividades físicas regulares e adequadas a cada fase gestacional. “Mesmo quem está sedentária deve mexer o corpo. Nesse caso, a adesão à atividade deve ocorrer após o primeiro trimestre de gestação. Gosto muito de indicar natação ou hidroginástica, mas outras modalidades são muito bem-vindas”, afirma Helena.
 
Massagens ou tratamentos estéticos não costumam ser prescritos durante a gestação e lactação, mas, após este período, eles podem ser bons aliados das mamas. “Alguns fisioterapeutas executam manobras (massagens) que ajudam a tonificar tanto o colágeno da pele quanto as fibras estruturais da glândula mamária, porém, não existem muitos trabalhos científicos que discutam o assunto. Não tenho o hábito de prescrever drenagem nem tratamentos para flacidez e estrias nessa fase, mas, após a amamentação, essas técnicas podem promover uma melhoria estética”, afirma o cirurgião plástico Pablo Rassi.
 
Fonte: bebe.abril.com.br

15 de jun de 2012

Mantenha o estilo durante a gestação

A gravidez é uma das fases mais lindas na vida de uma mulher, porém, para fazer da barriguinha um charme é preciso escolher a peça certa, ou corre-se o risco de parecer um "saco de batatas".
No começo da gestação, o melhor é disfarçar os quilinhos a mais com roupas que não marquem muito o corpo.
Quando a barriguinha começar a aparecer, já é hora de exibi-la. "Nada justo e marcando as 'gordurinhas' ou parecendo que a roupa esta pequena para você" o tipo de roupa que mais favorece as gestantes são aquelas com um corte que não aperte a barriga e que deixe o resto mais justo.
No terceiro trimestre da gravidez, a prioridade é ter conforto. É aí que algumas peças próprias para gestante fazem toda a diferença.
O grande segredo é investir em roupas próprias para gestantes, que vêm com regulagens que podem ser ajustadas de acordo com a barriga. E é claro que a Be Mammy, vai te ajudar a escolher a roupa ideal, pra você continuar linda e charmosa durante toda a gestação.
Confira!


 
 









14 de jun de 2012

Vacinar contra gripe durante gravidez pode ajudar bebê

Imunização ajuda a proteger bebê antes e depois do parto.


A vacinação de mulheres grávidas contra a gripe também ajuda a proteger a saúde dos bebês antes e após o parto, revela um estudo publicado no American Journal of Public Health.

Baseado em dados estatísticos da província canadense de Ontario, o estudo comparou grupos de mulheres grávidas que receberam ou não a vacina contra a gripe H1N1 durante a pandemia de 2009-2010, que matou mais de 14 mil pessoas no mundo.
"Nossos resultados sugerem que a vacinação contra a gripe H1N1 no segundo e terceiro trimestres de gravidez está associada a uma melhoria nos resultados fetais e neonatais durante a recente pandemia", revelam os pesquisadores, que destacam a necessidade de confirmar a conclusão com outros estudos.
No início do mês, outro grupo de pesquisadores canadenses descobriu que a vacina contra o H1N1 gerou uma série de anticorpos que protegem contra muitos tipos de gripe, incluindo a altamente letal cepa H5N1 da gripe aviária.
FONTE: R7

13 de jun de 2012

O que grávidas podem e não podem fazer para se cuidar.

 
Grávida pode pintar o cabelo? E fazer limpeza de pele? E como fazer para evitar as estrias na gravidez? Essas são algumas dúvidas que atormentam muitas mulheres.

Pintar o cabelo
A gestante pode usar tintura, desde que tome alguns cuidados. “É importante evitar as tinturas no primeiro trimestre de gestação. Tente usar os bastões de retoque temporário. Caso você tenha optado pela cor loira, os reflexos dourados que normalmente não tocam no couro cabeludo também são seguros”.


Limpeza de pele
Toda gestante pode fazer limpeza de pele sem nenhum problema. "É uma pele que normalmente já mancha com mais facilidade e por isso deve-se ter um maior cuidado. Deve-se evitar usar produtos esfoliantes, contendo ácidos, pois a pele absorve. Também é importante aplicar filtro solar logo após a limpeza, pois a pele fica mais fina e com isso é maior a chance de manchar. Não pode usar qualquer tipo de máscara calmante, descongestionate ou secativa - pois podem conter substâncias não ideais para o bebê, como ácido salicilico, antibióticos, despigmentantes, etc".


Estrias
O principal para evitar as estrias é manter o peso adequado durante toda a gravidez, não engordar repentinamente ou excessivamente. Se possível, fazer algum tipo de exercício apropriado e manter a pele hidratada, com sabonetes e cremes indicados por seu obstetra ou dermatologista. As estrias já presentes não alteram na gestação. Ali já houve ruptura das fibras e o local não será novamente afetado. Porém, elas podem funcionar como um alerta para a necessidade de maiores cuidados, pois indicam uma pele propensa a desenvolvê-las.


Celulite
Manter uma rotina de exercícios físicos, dieta balanceada sem ganho excessivo de peso (o ideal é de 9 a 12 kg em uma gestação de feto único), evitar frituras, refrigerantes, alimentos gordurosos. Procurar ingerir fibras para manter o bom funcionamento do intestino e beber muito liquido, de maneira que a urina esteja sempre bem clarinha. Se for possível, fazer drenagem linfática com profissional especializado uma vez por semana e deixar a pele sempre hidratada. Hoje há inclusive bons produtos para uso tópico que podem ser usados por grávidas. Para quem já tem celulite, é indicado fazer a drenagem linfática duas vezes por semana.


Dieta
Durante a gravidez existe a necessidade de um adicional protéico para a síntese de tecidos maternal e fetal. “Todas as vitaminas e minerais são importantes. Na gestação, devemos dar maior atenção ao ácido fólico, ácido ascórbico, cálcio, fósforo, ferro, zinco, cobre, sódio, magnésio, flúor, iodo e vitaminas B6, A, D, E e K. Para suprir as necessidades, é importante uma alimentação diversificada incluindo cereais, produtos integrais, oleaginosas, frutas, legumes, verduras, laticínios e carnes nas quantidades recomendadas. Os minerais e as vitaminas possuem funções específicas que garantem a saúde da mãe e o perfeito desenvolvimento fetal”.


12 de jun de 2012

Moda Gestante no inverno!

Quem disse que as gestantes não podem se vestir bem? A moda gestante inverno 2012 da Be Mammy traz muitas novidades, muitas peças bonitas, que vão fazer com que o visual da mulher grávida fique lindo.









 
Por isso mesmo, se você está grávida e quer ficar super na moda, com lindas peças, vale a pena dar uma olhada nos modelos da coleção moda gestante inverno 2012 da Be Mammy, você vai se surpreender com  as lindas peças.

Beijos e bom inverno!
 

11 de jun de 2012

Parto Humanizado Domiciliar

A terapeuta ocupacional e sanitarista Sabrina Ferigato, de 30 anos, viu um de seus momentos mais íntimos ser visto por mais de 2 milhões de espectadores. Mas não à toa. O nascimento de seu filho Lucas, hoje com cinco meses, foi uma iniciativa compartilhada entre ela e mulheres do grupo Samaúma, de Campinas (SP), que oferece profissionais e assistência a mães que desejam um parto humanizado.

O que Sabrina não esperava é que a iniciativa fosse vista por mais de 2 milhões de vezes no YouTube – e despertasse reações de mães que se reconheceram em seu lugar, outras que repensaram a escolha da cesariana ou apenas se emocionaram ao longo dos 14 minutos de vídeo (o parto durou nove horas). 
A seguir, confira o vídeo do Parto Humanizado Domiciliar de Sabrina.


10 de jun de 2012

Estrelas das Grávidas Angélica e Claudia Leitte

Veja no Video abaixo um bate papo descontraido, em que a Angélica conversa com Claudia Leitte sobre Gravidez, Carreira e Familia, e Claudinha acaba revelando o sexo e o nome do Bebê. 
É um Menino e se chama Rafael, nome escolhido por Davi, o primeiro filho da Claudia.

9 de jun de 2012

Be Mammy traz sugestões de presentes para o Dia dos Namorados

Veja sugestões de presentes para o Dia dos Namorados das futuras Mamães:



Macacão Gestante Malha Oliva
Com a onda setentinha que invadiu as passarelas, o macacão volta à cena e conquista espaço nos closets da gestante, shape soltinho proporciona maior conforto na acomodação da barriga.






Look Gestante Touch of Class

Look escolhido pelo editor de moda Tomaz Souza Pinto, vai do escritório ao jantar.
                                                                             
R$ 292,57





Look Gestante Urbanista

Look escolhido pelo editor de moda Tomaz Souza Pinto, ideal para o dia -a- dia.       R$ 188,29